Educação financeira dos jovens

Posted By on jan 23, 2015 | 0 comments


Educação financeira dos jovens



Piggybank Girl
O que vale é o que está na moda, e o que aparece na TV e na mídia, nas redes sociais. O celular do momento, as roupas da estação, o carro do ano, a balada do sucesso. É isso que a grande maioria dos jovens quer: estar ligados nas tendências e assim poder se enquadrar num grupo em que se identificam.
Mas e aí? Como lidar com uma mente ainda em construção, identificação x uma educação financeira? Se eles apenas anseiam em comprar, de qual forma conseguirão economizar e não se deixar levar por essa sociedade do consumo? São questões que estão em pauta e que merecem muita atenção, principalmente por parte dos pais quando eles ainda são pequenos.
Ainda pequenos
Quando a criança ainda é pequena, é que os pais conseguem passar os valores e a educação. Essa fase de crescimento deve ser acompanhada com toda atenção. Ainda mais hoje, onde a tecnologia acaba muitas vezes atrapalhando essa forma de educar.
Psicólogos já alertam para um ponto: de comprar presentes. Presentes não devem fazer parte da rotina de uma criança. Deveriam ser dados em épocas de aniversários, natal, dia das crianças. Mas com uma sociedade que consome cada vez mais, isso está muito longe de acontecer.
Os pais precisam ter um diálogo com seu filho, conforme ele vai crescendo sobre o valor do dinheiro. É importante salientar para ele, que é preciso trabalhar para conseguir o que se quer. Tentar dar mesada e ensinar o seu valor. E evitar comprar a toda hora. Uma opção é fabricar o próprio brinquedo, porque além de estar ajudando na criatividade da criança, estará colaborando para um mundo mais sustentável.
Sempre alertando para o diálogo, as explicações de como tudo funciona. Que o dinheiro é importante, para comer, se vestir, mas que para consegui-lo é necessário trabalhar e muito.

Educação financeira dos jovens família é tudo
Grupo de identificação

Assim que as crianças vão crescendo elas vão se identificando com um grupo. E isso acontece quando já assistem TV. Os pais deveriam controlar o limite de tempo em que seus filhos ficam horas olhando TV. Além de aumentar o sedentarismo, com a publicidade as crianças acabam querendo se enquadrar e pedem coisas.
Logo na adolescência para fazer parte de um grupo de amigos, esse adolescente começa a consumir alguma determinada roupa, come determinado alimento, escuta outro tipo de música. Nessa fase os pais devem ficar muito alertas, pois eles ficam mais nervosos, agem por impulso e compram. Em alguns casos, é aconselhável o acompanhamento com o psicólogo.
E para se enquadrarem, eles compram celular de marca, roupa, e assim acabam se tornando consumistas. Esquecendo que essa fase já dará início ao que serão depois. Pessoas consumistas e endividadas.

Sociedade do consumo

Estamos em uma fase de consumo. De comprar para muitas vezes suprir algum sentimento. Quem nos traz a explicação para sociedade de consumo é o autor Jean Baudrillard que fala do consumo exagerado na era de um sistema de produção.
Outros autores como Zygmund Bauman e Gilles Lipovetsky que exploram o fato de consumirmos tanto devido a uma sociedade que cria novos espaços para os consumidores comprarem, através de uma publicidade, por exemplo.
E será cada vez mais difícil inibir esse aumento da sociedade consumo. A inovação está aí como exemplo. Todos querem ser conectados compartilhando dados e informações. Estar conectado, consumindo e fazer parte de uma representação social.

Educação financeira dos jovens

Educação financeira

Mas por que falar dessa questão? Tratamos isso aqui para alertar e para evitar cada vez mais jovens futuramente endividados. Economizar quando se é novo, é poder desfrutar de um futuro mais tranquilo.
Pesquisas já comprovaram que a grande maioria da população sofre de depressão devido ao endividamento. Não conseguem dormir, têm insônia, pois não conseguem pagar as suas dívidas. E isso não é algo preocupante?
Um fato que merece atenção. Por que não há na escola, o ensinamento de como economizar, não comprar tanto? Esse diálogo deve ser feito em casa com os pais e na escola. Mas isso não acontece.

Algumas dicas para economizar são:

● Registrar todas as despesas;
● Pensar, reavaliar antes de comprar algo;
● Guardar 10 % do salário, se estiver trabalhando (poupar já deve ser uma palavra comum para a criança desde pequena);
● Não comprar para impressionar;
● Sair menos;
● Empreste coisas, peça emprestado;
● Pagar primeiro as despesas, dívidas e depois faça as suas coisas;

Essas foram algumas das dicas. O que importa é reavaliar o seu pensamento. Será que o ter é mais importante do que o ser? Pense nisso.

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>