O sistema de adoção

Posted By on fev 27, 2015 | 0 comments


O sistema de adoção

image

Quando falamos em adoção a imagem do livro/filme “Oliver Twist”, escrito por Charles Dickens, vem à mente, aquela cena onde o jovem órfão pede um pouco mais de comida o que, no entanto, é brutamente recusado. Mas, é assim mesmo o sistema de adoção hoje em dia? O site Família é Tudo irá falar sobre alguns casos de adoção aqui no Brasil.

Os abrigos servem como orfanato e contêm cerca de 200 mil crianças que foram abandonadas pelos pais, ao ler isso você deve estar pensando “se tem tanta criança assim não teria como não notá-las”. Elas são ignoradas pela sociedade, ou seja, ninguém nota que elas existem ou se importa.

Antes de continuarmos avisamos que os nomes usados aqui são fictícios a fim de proteger a privacidade dessas pessoas.

Caso você queira adotar alguma criança saiba que primeiro tem que ir à vara da infância e juventude e preencher um cadastro com eles, tem que dar todas as suas informações corretas, por exemplo: caso você já tenha sido preso, se tem algum antecedente judicial, onde trabalha e se é casado ou se foi casado.

O Cadastro Nacional de Adoção foi uma ferramenta criada em 2008 para ajudar os juízes das varas da infância e juventude, o sistema cruza dados mais rápido tornando possível ajudar casais a encontrarem crianças para adoção.

Foi divulgado ano passado que os estrangeiros podem adotar crianças brasileiras da mesma forma que um casal brasileiro, tudo que eles têm que fazer é se cadastrar pelo Cadastro Nacional de Adoção que se encontra em qualquer estado brasileiro.

image

Agora vamos para aquelas perguntas que você deve estar fazendo agora:

1- Quando uma criança é apta para adoção? Quando a criança é abandonada e não tem nenhum parente natural que possa tomar conta dela. Pode se cadastrar no site http://www.cnj.jus.br/cna/View/index. php.

2- Quanto tempo demora o processo de adoção? Demora em torno de um ano, no entanto, se pessoa tiver um perfil especifico para a criança, por exemplo: uma criança loira de olhos azuis, o processo pode demorar um pouco.

3- Como faço para entrar no Cadastro Nacional de Adoção? Você tem que ter mais de 18 anos e apresentar a documentação desejada em dia.

4- Que documentos se deve levar?

-Documento de identidade
– CPF
– Certidão de casamento ou nascimento
– Comprovante de residência
– Comprovante de rendimentos ou declaração equivalente
– Atestado ou declaração médica de sanidade física e mental
– Certidões cível e criminal.

5- O que acontece depois? Ao apresentar os documentos, a pessoa será submetida a exames médicos e psicológicos, terá que comparecer a aulas especiais e isso tudo pode durar 2 meses, sem falar que ainda receberá visitas de técnicos para avaliar a moradia onde a criança irá viver e também para traçar o perfil da criança desejada.
6 – O que acontece quando a criança desejada aparece? É apresentado o histórico da criança e se ainda houver interesse pode ser marcado pequenos passeios com a criança, o pretendente pode visitar o abrigo onde ela esta. Se a pessoa ainda quiser a criança depois disso, pode começar a entrar num processo de adoção e ganha guarda provisória.

sistema de adoção
7- Quando a criança adotada vira filho legalmente? Mesmo tendo adotado a criança, a família ainda será visitada por uma equipe técnica que apresentará uma avaliação conclusiva que passará para o juiz, onde este emitirá um novo registro de nascimento para a criança, onde a criança usa o sobrenome dos novos pais e assim tem os mesmos direitos que um filho biológico.

Agora, vamos a alguns casos de pessoas que foram adotadas, usaremos um nome fictício, Maria foi abandonada pelos pais biológicos que não a queriam, sua família adotiva a acolheu de braços abertos, sua nova mãe a criou sozinha e foi um exemplo para a jovem menina.

E se pensa que eles mantiveram em segredo o fato de ser adotada esta errada, a família não escondeu isso dela e nunca a tratou como uma estranha. Infelizmente, existem pessoas que adotam crianças, mas que não as tratam como membros da família.

Como é o caso do Pedro, um menino que foi adotado por uma família, no entanto, a nova família não o tratava como um membro familiar. O menino não sofria nenhum abuso físico ou mental, mas foi tratado mais como uma visita do que um membro da família.

Existem casais que desistem da adoção da criança por diversos motivos tais quais como: a criança ter alguma doença ou deformidade, o histórico dos pais biológicos da criança e às vezes eles se cansam de esperar e desistem do processo.

Vamos terminar o artigo com uma reflexão, você que reclama dos seus pais saiba que há crianças que foram abandonadas e esperam ser adotadas por alguém, saiba que há crianças que passam fome nas ruas e há crianças que são abusadas física e mentalmente todos os dias pelos próprios pais.

Pense nisso antes de reclamar da sua família, que só deseja o seu sucesso e felicidade. Afinal, mãe e pai não são eternos.

 

Lizandra Oliveira.

Repórter – Rio de Janeiro

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Descubra mais sobre Família é Tudo

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue lendo